Monthly Archives: March 2014

A Dor da Folha em Branco – Bloqueio Criativo – Dicas Para o Escritor Iniciante 26

client-Picture-049

Como superar a dor da folha em branco? Acho que a pergunta deveria ser: por que você passa por um bloqueio criativo?

Há vários fatores que podem desencadear o bloqueio criativo, o principal é a insegurança que nasce do excesso de expectativas.

1-      Você acha que a sua ideia é genial, então quer escrever um livro genial, lógico, ele tem que ser único e elaborado com a fina flor da língua. Caminho errado. A prática faz a perfeição. Não existem anabolizantes para escrever. Baixe as expectativas, sente-se e escreva sua história como desejar, não se preocupe com a crítica (interna ou externa), seja você mesmo e divirta-se. Como não existem dois seres humanos iguais, jamais existirão dois escritores iguais, de qualquer forma sua ideia será original e única.

2-      “Estava tão inspirado, agora acabou. Onde está você, inspiração?” Ela vai voltar, todo mundo tem seus lapsos criativos: grandes escritores, jornalistas, advogados, pedreiros. Todo mundo um dia acorda virado e nada sai direito. Aguarde um pouco, preocupe-se com outras coisas e depois volte a escrever que a inspiração voltará também.

3-      Considerar cada linha, parágrafo ou página como eterno e imortal é considerar que aquele despertador de corda, velho e quebrado irá ser útil um dia. Não guarde quinquilharias, elas ocupam o espaço do novo. Leia o que escreveu e se parecer pobre, insuficiente, desnecessário ou inadequado: jogue fora. Reescreva e tudo se necessário.

4-      Aquela ideia perdida, como já disse em outro capítulo, não vai voltar, mas outras virão, nunca esqueça o bloco de notas, virtual ou físico, e verifique se estas notas levarão a um projeto, guarde-as para um momento em que este projeto que está desenvolvendo travar. Parta para outro livro/conto, momentaneamente, retorne revigorado pelas novas experiências para o antigo projeto. Outra ideia é considerar alguma proposta dentro do projeto e desenvolvê-la: um cenário, uma história paralela, um acontecimento passado etc. Pode guardá-la ou usá-la se for relevante.

5-      Outra forma de revigorar-se é exercitando o corpo – “mens sana in corpore sano”. De uma longa caminhada, ande de bicicleta, faça exercícios e volte para a folha em branco. A circulação aumenta e seu cérebro fica energizado pelo fluxo de sangue.

6-      Leia o que escreveu em voz alta, aliás, ler é uma forma de voltar-se para a história, o escritor vive suas histórias, tanto que ao terminar um livro se sente um pouco órfão, um pouco abandonado. Este também pode ser um fator de estresse que pode impedir novas conquistas. Desapegue-se.

7-      O pior de todos os bloqueios é o inicial. Então esqueça o início e vá para o meio, o fim, a parte que está na sua cabeça no momento que decidiu escrever. O processo de escrita não é uma novela que começa no primeiro capítulo e termina no último. Esta decisão também pode ser generosa para com seu trabalho. Imagine que seu livro tem uma batalha épica para acontecer por volta do capítulo 10, e para que esta batalha aconteça uma série de conflitos e intrigas terão que estar nos capítulos 1 a 9, então você acelera para alcançar o capítulo 10. Escreva o capítulo 10, livre das expectativas, verá que os capítulos anteriores se desenvolverão melhor, quando chegar ao ponto da batalha, observe se o conteúdo do capítulo está adequado e continue.

 

Por que os bons começos de livros são tão cultuados? Por que eles nunca são tão certos quanto deveriam, reescrevê-los num determinado momento do processo é quase obrigatório para os escritores modernos.

Advertisements